Outras edições

10

ABR

publicado 10/04/2015

30

JUN

publicado 30/06/2014
Desde o dia 27 de junho, um dos principais canais de comunicação da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico está com novo visual.

Veja Nossos Artigos

08

MAI

publicado 08/05/2019
Café da manhã terá participação de Fernando Meneguin, Diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor

30

ABR

publicado 30/04/2019
Iniciativa do Observatório de Gestão de Fraude explica de maneira didática quais são, como identificar e como prevenir os principais golpes aplicados no varejo online

23

ABR

publicado 23/04/2019
A cada 5 segundos, uma empresa do comércio eletrônico brasileiro sofre algum tipo de fraude. Foi pensando em mudar esse cenário que companhias do setor se reuniram para criar o Observatore.org - Observatório de Gestão de Fraude (OGF), uma central de compartilhamento de informações contra crimes digitais. O objetivo é se adiantar aos cyber criminosos, alertando empresas e consumidores sobre golpes que estão circulando ou que começam a ser aplicados.

Palavra do presidente

publicado em 25/06/2015

Tendências do e-commerce brasileiro em meio a um cenário de desaceleração econômica

Palavra do Presidente

A economia nacional vive um período de sensível diminuição de seu ritmo de crescimento, sentido em diversos segmentos, refletindo-se em sintomas adversos como a diminuição de investimentos e da geração de empregos, além do aumento de preços e do amargo remédio do aumento de juros, configurando-se em um cenário econômico de possível estagflação.

Todavia, apesar desse ambiente macroeconômico pouco promissor, o comércio eletrônico brasileiro continua crescendo a um ritmo de dois dígitos ano após ano. O que posiciona o segmento como importante gerador de oportunidades de negócio a empreendimentos, gerando emprego e renda a diversas famílias e posicionando-se como o espaço fértil para aflorar o empreendedorismo natural do povo brasileiro. O e-commerce cresce tanto para as companhias de grande porte já instaladas como também no estrato das micros, pequenas e médias empresas.

A expectativa para o e-commerce neste ano, seu 20º aniversário no país, segundo dados do relatório Webshoppers, é que seu faturamento apresente um crescimento nominal na ordem de 20%, ante uma possível retração de 1,5% do PIB.

Em 2014, quando a economia começava a demonstrar os primeiros sinais de cansaço, o comércio eletrônico brasileiro faturou R$ 35,8 bilhões, apresentando um crescimento nominal de 24%, em relação a 2013.

Mas, para além dos números, é importante observarmos e refletirmos também sobre as iniciativas que se fortalecem em meio à retração econômica. Épocas nas quais o consumidor valoriza ainda mais a relação custo x benefício de suas compras essenciais, priorizando artigos que ofereçam o maior nível de desconto praticado. A economia digital trouxe, neste tocante, uma novidade que vai marcar para sempre a relação entre consumidor e varejo (off-line e online): o uso de ferramentas de busca e comparadores de preços, que possibilitam ao internauta, de forma transparente e direta, escolher o produto ou serviço pelo menor custo praticado, reduzindo a disparidade de preços no mercado e aumentando a eficiência para o consumidor.

O uso da tecnologia para pesquisar preços e vantagens já se tornou um hábito de boa parte dos brasileiros. Muitos, por exemplo, recorrem ao smartphone ou ao tablet para consultar o preço de determinado produto nas lojas virtuais. O que colabora para uma recente e sensível tendência de aumento das vendas por meio de dispositivos móveis, o chamado m-commerce (ou mobile commerce).

Fato claramente evidenciado durante a Detonaweb 2015, promoção realizada pelo Comitê de Varejo Online da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), entre os dias 14 e 16 de abril. Nesta oportunidade, aproximadamente 15% dos acessos e compras foram realizados via smartphones (10,16%) e tablets (4,44%). Além disso, de acordo com o Webshoppers, 9,7% de todas as vendas de bens de consumo realizadas pela Internet em 2014 foram por meio de aparelhos móveis.

A Detonaweb, aliás, reflete bem outra tendência positiva do e-commerce mesmo em tempos de retração econômica: o sucesso da realização de campanhas promocionais. Fato consumado pelos números da Black Friday, que faturou R$ 1,16 bilhão em 2014, segundo a E-bit, mais do que o faturamento da principal data sazonal do comércio eletrônico, o Natal.

O avanço da tecnologia e a criatividade dos empreendedores são as alavancas que permitem às lojas se reinventarem para superar a crise, realizar boas ofertas e continuar crescendo, oferecendo ao consumidor, cada vez mais, uma experiência de compra rápida, fácil e prazerosa.

Os anos de 2015 e 2016, portanto, serão importantíssimos para a consolidação de ações baseadas nos conceitos do Omnichannel do SoLoMo (Social, Local e Mobile), contribuindo definitivamente para evidenciar a simbiose e a fusão entre a loja física e a loja online, um sinal claro do aumento da relevância e capacidade de alavancagem do e-commerce no Brasil.

comments powered by Disqus
Nossos
Selos
Clique Valide
BlackFridayLegal2017
Internet Segura
Detonaweb
Nossos Associados
Associe-se

Conheça as vantagens de ser nosso associado.

Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) | CNPJ: 04.481.317/0001-48
Edifício Higienópolis Offices Tower - Av. Angélica, 2.503 – 5° andar, sala 56, 01227-200 – Consolação – São Paulo/SP
Contato: (11) 3237-1102 | E-mail: info@camara-e.net
Camaranet todos os direitos reservados - 2013